Antropologia


CÓD. NO SINGU: DHR30008

DISCIPLINA: Antropologia

CARGA HORÁRIA: 80h

CRÉDITOS: 04

 

OBJETIVO


Investigar o ser humano como um todo - ser biológico, ser cultural e ser social preocupando-se em revelar os fatos da natureza e da cultura na busca da compreensão da sua existência através da suas manifestações culturais, comportamentos e vida social.

 

EMENTA


Teorias Antropológicas Clássicas. Antropologia política. Antropologia Simbólica. Antropologia da Religião. Relações de Gênero e da Sexualidade. Antropologia do corpo, da saúde e da doença. Memória e Identidades Étnicas. Etnologia Indígena.

 

METODOLOGIA


Aulas expositivas. Leituras e discussões dos textos selecionados da bibliografia. Debates orientados sobre resenhas e textos acadêmicos sobre a temática das unidades. Seminários.

 

PROGRAMA


1. Teoria Antropológica Clássica

1.1. O Evolucionismo

1.2. A Escola Boasaiana

1.3. A Escola Sociológica Francesa

1.3. Antropologia Social Britânica

1.4. Estruturalismo

2. Antropologia política

2.1 O problema do poder na Antropologia: definições e abordagens

2.2. Estruturas de poder e formas de diferenciação social

2.3. Parentesco e poder

2.4. Simbolismo ritualização e poder

2.5. Ideologia e cultura

2.6 Multiculturalismo

3. Antropologia Simbólica

3.1. Sistemas simbólicos como objeto de Antropologia

3.2. Categorias do pensamento, cosmologias e sistemas de representação

4. Antropologia da Religião

4.1. Estudos contemporâneos e religiosidades no Brasil: religiões afro-brasileiras, pentecostalismo, xamanismo nas sociedades das terras baixas sul-americanas, religiosidade rural e devoções no Nordeste, novas formas de religiosidade urbanas.

5. Antropologia das Relações de Gênero e da Sexualidade

5.1. Masculino e feminino plural em universos relacionais.

5.2. Dualidades, dicotomias e assimetrias na construção social do masculino e feminino. Organizações coletivas de mulheres: diferença e igualdade, diferença e desigualdade.

5.3. Exame de temas como homossexualidade, heterossexualidade, bissexualidade; castidade; prostituição.

6. Antropologia do corpo, da saúde e da doença:

6.1. Formas de definição e teorização cultural do corpo, da saúde e da doença;

6.2. O problema da racionalidade e da crença; os sistemas médicos ocidentais e não-ocidentais;

6.3. O papel do doente e a construção cultural do paciente; os especialistas (feiticeiros, curandeiros, xamãs, médicos, etc); a dimensão comunitária e associativa das terapias e das curas; corpo, doença e simbolismo; ritual, eficácia e cura; corpo, subjetividade e cultura.

7. Memória e Identidades Étnicas

7.1. Conceito de etnicidade.

7.2. Teorias da etnicidade na Antropologia Brasileira

8. Etnologia Indígena (Etnologia, Indigenismo e o Imaginário Colonial)

8.1 Povos indígenas de Rondônia

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA


BERNARDI, Bernardo. Introdução aos Estudos Etno-Antropológicos. Lisboa: ed. 70, 1974.

DAMATTA, R. Relativizando: uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Ed.Rocco, 1997.

ENGELS, Friedrich. A Origem da Família da Propriedade Privada e do Estado. Rio de Janeiro: ed. Bertrand Brasil, 2000.

LAPLANTINE, François. Aprender Antropologia. São Paulo: ed. Brasiliense, 1999.

LÉVI-STRAUSS, Claude. O Pensamento Selvagem, São Paulo, Companhia Ed. Nacional, 1976.

MORGAN, L. A Sociedade Primitiva. Lisboa: ed. 70, 1976.

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. ¨Perspectivismo e Multinaturalismo na América Indígena¨. Em A Inconstância de Alma Selvagem. São Paulo: Cosac & Naify, 2002, pp. 345-399

RIBEIRO, Darcy. Os Índios e a civilização: A integração das populações indígenas no Brasil moderno. 6 ed. Vozes, 1993.

RODRIGUES, Nina. Os Africanos no Brasil. São Paulo: ed. Nacional: Brasília: INL, 1976.

SALZANO, Francisco M. Evolução do mundo e do homem: liberdade ou organização. Porto Alegre: ed. Universidade/UFRGS, 1995.

CIMI-RO. Conselho Indigenista Missionário-Regional Rondônia. Panewa Especial, Porto Velho, 2002.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR


EVANS-PRITCHARD, E.E. Os Nuer. São Paulo, Editora Perspectiva, 2002..

SAHLINS, Marshall. Ilhas de História, Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 1990.

GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro, Zahar, 1978.

CARNEIRO DA CUNHA, Manuela. Negros, estrangeiros: os escravos libertos e sua volta à África, São Paulo, Brasiliense, 1985.

CARDOSO, Ruth. A Aventura Antropológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

DURHAM, E. A Reconstituição da Realidade. São Paulo: Ed. Ática, 1978.

EVANS-Pritchard, E. E. Antropologia Social. Lisboa: ed. 70, 1972.

KUPER, Adam. Antropólogos e Antropologia. Rio de Janeiro: ed. Francisco Alves, 1978.

LARAIA, Roque. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: ed. Jorge Zahar, 1997.

MAUSS, M. Ofício do Etnógrafo, Método Sociológico. In: Cardoso de Oliveira, R. MAUSS. São Paulo: Ática, 1979. P. 53-59

MAUSS, M. Uma Categoria do Espírito Humano: a noção de pessoa, a noção do “eu”. In: Cardoso de Oliveira, R. MAUSS. São Paulo: Ática, 1979. P. 53-59

MAUSS, Marcel. As Técnicas Corporais. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: EDUSP, 1974.

MALINOWSKI, Bronislaw. Crime e Costume na Sociedade Selvagem, Brasília, Editora da UnB, 2003.

_____. Argonautas do Pacífico Ocidental: Um relato do empreendimento e da aventura dos nativos nos arquipélagos da Nova Guiné Melanésia. São Paulo: Ática, 1978.

PERTI, P. Iniciação ao Estudo da Antropologia Social. Rio de Janeiro: ed. Zahar, 1971.

RADCLIFFE- Brown. Estrutura e Função na Sociedade Primitiva. Petrópolis. Vozes, 1973.

RIVIÈRE, Claude. Introdução à Antropologia. Lisboa: ed. 70, 1995.

ROCHA, Everardo. O que é etnocentrismo. São Paulo: ed. Brasiliense, 1994.




<<
Setembro 2021
>>
DoSeTeQuQuSe
   1234
567891011
121314151617
18
19202122232425
2627282930