História Moderna


CÓD. NO SINGU: DHR30011

DISCIPLINA: História Moderna

CARGA HORÁRIA: 80h

CRÉDITOS: 04

 

OBJETIVO


Iniciar o estudo da historiografia relativa ao período de transição do feudalismo para o capitalismo, identificando os aspectos fundamentais das ordens sociais vigentes na Europa Ocidental no período moderno, a fim de empreender investigações mais seguras referentes a este período histórico.
 

EMENTA


Formação e crise da sociedade do antigo regime e a Idéia da Revolução. Monarquia absolutista, mercantilismo e sociedade de ordens. Expansão ultramarina. Renascimento, a reforma, contra-reforma e revolução. Revolução Inglesa e movimentos sociais nos séculos XVII e XVIII. Revolução Industrial. Formação da classe operária Movimentos sociais, culturais e protesto popular.
 

METODOLOGIA


A disciplina será desenvolvida através dos seguintes procedimentos metodológicos: aulas expositivas e dialógicas, trabalhos individuais e coletivos (em grupo), estudo com leitura de textos indicados, debates, seminários, filmes e análises de temas específicos.
 

PROGRAMA


1. História Moderna, Historiografia e questões conceituais

1.1. Subordinação gradativa do mundo rural à ordem urbana

1.2. O iluminismo

1.3. O mercantilismo

2. O antigo regime e as revoluções modernas: a Revolução Inglesa e a Revolução Francesa

3. Expansão ultramarina e colonialismo

4. Estado, religião e poder

4.1. A reforma, a contra-reforma e o pensamento humanista do Renascimento

4.2. O pensamento moderno e o absolutismo

4.3. As monarquias modernas

4.4. A era napoleônica

5. Desenvolvimento do capital e lutas políticas

5.1. Acumulação primitiva

5.2. Primórdios da revolução industrial

5.3. A embrionária classe operária e as lutas sociais

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA


ARENDT, Hannah. Sobre a Revolução. Lisboa: Moraes, s/d.

ANDERSON, P. Linhagens do Estado Absolutista. Porto: Ed. Afrontamento, 1984.

ARRUDA, J. A grande revolução inglesa. São Paulo: Hucitec, 1996.

DELUMEAU, J. História do medo no Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.

_____. A civilização do Renascimento. Lisboa: Ed. Estampa, 1984. 2 v.

ELIAS, N. A sociedade de Corte. Lisboa: Editorial Estampa, 1995.

_____. O processo civilizador. Rio de Janeiro: Zahar, 1990.

FALCON, F. Despotismo esclarecido. São Paulo: Ática, 1986.

FURET, François. Pensar a Revolução Francesa. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

HOBSBAWM, E. Da Revolução Industrial Inglesa ao Imperialismo. Rio de Janeiro: Forense, 1983.

_____. A Era das Revoluções. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.

SOBOUL, Albert. A Revolução Francesa. Rio de Janeiro. Zahar, 1985.

TREVELYAN, G. M. A Revolução Inglesa. Brasília: Ed. UnB., 1982.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR


DARNTON, Robert. O grande massacre dos gatos. São Paulo: Graal, 1989.

ELTON, G.R. A Europa durante a Reforma. Lisboa: Ed. Presença, 1982.

GÉRARD, Alice. A Revolução Francesa. São Paulo: Perspectiva, s/d.

HELLER, A. O Homem do Renascimento. Lisboa. Ed. Presença, 1982.

HILL, Christopher. Origens intelectuais da Revolução Inglesa. São Paulo: Martins Fontes, 1992.

KRISTELLER, P. Tradição clássica e o pensamento do Renascimento. Lisboa. Ed. 70, 1995.

LEFEBVRE, Georges. O grande medo. Rio de Janeiro. Campus Ed., 1979.

MANTOUX, Paul. A revolução industrial no século XVIII. São Paulo. Hucitec, 1986.

RÉMOND, René. O Antigo Regime e a revolução. São Paulo: Cultrix, 1986.

RUDÉ, George. A multidão na história: estudo dos movimentos populares na França e na Inglaterra, 1730/1848. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1991.

TOCQUEVILLE, Alexis. O Antigo Regime e a Revolução. Brasília: Ed. UnB., 1979.




<<
Setembro 2021
>>
DoSeTeQuQuSe
   1234
567891011
121314151617
18
19202122232425
2627282930