História dos Movimentos Sociais no Brasil


CÓD. NO SINGU: DHR30042
DISCIPLINA: História dos Movimentos Sociais no Brasil
CARGA HORÁRIA: 80h
CRÉDITOS: 04

 

OBJETIVO


Compreender a dinâmica da sociedade brasileira, no tocante a variadas formas de resistência, articuladas a partir de necessidades coletivas, dentro de contextos determinados.

 

EMENTA


Conceitos e definições; a trajetória dos movimentos sociais; orientações ideológicas. formas organizativas e institucionais. Historiografia e Movimentos Sociais. Percursos e redefinições políticas e culturais dos movimentos sociais no Brasil contemporâneo. Movimento operário. Movimentos sociais do campo. Movimentos sociais urbanos. Movimentos das minorias. Movimentos revolucionários. Movimentos sociais e globalização.

 

METODOLOGIA


A disciplina será desenvolvida através dos seguintes procedimentos metodológicos: aulas expositivas e dialógicas, trabalhos individuais e coletivos (em grupo), estudo com leitura de textos indicados, debates, seminários, filmes e visita a campos de luta organizados por Movimentos Sociais (ex: áreas de ocupação de lotes urbanos, acampamentos de ocupação de latifúndio, sindicatos, etc).

 

PROGRAMA


1. Conceitos e definições; a trajetória dos movimentos sociais; orientações ideológicas; formas organizativas e institucionais.
1.1. Base histórico-conceitual sobre movimentos sociais: conceitos clássicos e contemporâneos sobre movimentos sociais.
1.2. Historiografia e Movimentos Sociais
1.3. Diferentes leituras sobre os "velhos" e "novos" movimentos sociais.
1.4. Percursos e redefinições políticas e culturais dos movimentos sociais no Brasil contemporâneo.
2.5. Afirmação e luta das “não-populações” brasileiras: negros, índios, mulheres e homossexuais.
2.1. Movimento Negro
2.2. Movimento indígena
2.3. Movimento Feminino
2.3. Movimento homossexual
2.4. Raça, gênero, etnia e classe: lutas indissociáveis.
3. Movimentos de trabalhadores: A luta de classes no Brasil.
3.9. Movimentos Sociais do Campo
3.11. Movimentos Sociais Urbanos
3.12. Movimento Operário
3.13. Movimentos Revolucionários
4. Movimentos sociais por educação pública de qualidade
4.1. A luta de classes na educação: Movimento Sindical de professores
4.2. Movimento Estudantil
5. Abordagens contemporâneas acerca das novas ações coletivas no país e no contexto internacional.

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA


ANTUNES, Ricardo. A rebeldia do trabalho (O confronto operário no ABC Paulista: As greves de 1978/80), Campinas-SP: Ensaios, 1988.
BORON. A. (ORG.). Nova Hegemonia Mundial. Alternativas de mudança e movimentos sociais. São Paulo: Expressão Popular, 2007.
GOHN, Maria da Glória. História dos Movimentos e lutas sociais, São Paulo: Loyola, 1995.
_____. Movimentos sociais no início do século XXI. Petrópolis: Vozes, 2003.
GORENDER, Jacob. Combate nas trevas: A esquerda brasileira: das ilusões perdidas à luta armada. São Paulo, Ática, 1987.
FAUSTO, Boris (Org.). História geral da civilização brasileira. Vol. 8 a 11. São Paulo: DIFEL, 1986.
MEDEIROS, L. S. História dos movimentos sociais no campo. Rio de Janeiro:FASE, 1989.
REIS, Dinarco. A Luta de Classes no Brasil e o PCB. São Paulo: Novos Rumos, s/d, 2 vols
MARTINS, José de Souza. Os Camponeses e a política no Brasil. Petrópolis: Vozes,1995.
MORAIS. Clodomir Santos de. História das Ligas Camponesas no Brasil. Brasília: Iattermund, 1997.

 

BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR


CHAUI, Marilena; FRANCO, Maria S. C. Ideologia e mobilização popular. RJ: Paz e Terra, 1978.
CUNHA, P. R da. O camponês e a história: a construção da ULTAB e a fundação da CONTAG nas memórias de Lyndolpho Silva. São Paulo: Instituto Astrojildo Pereira, 2004.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. v. II. Porto Alegre: Editora Globo, 1976.
FREYRE, Gilberto. Casa grande e senzala: formação da família brasileira sob o regime da economia patriarcal. 9º edição, RJ: 1958.
LEAL, Vítor Nunes. Coronelismo, enxada e voto: o município e o regime representativo no Brasil. São Paulo: Alfa Ômega, 1993.
LEVINE, R. M. O sertão prometido: o massacre de Canudos. São Paulo: Editora da USP, 1995.
LINHARES, M. Y.; DA SILVA, F. C. Terra prometida: uma história da questão agrária no Brasil. Rio de Janeiro: Campus. 1999.
MACHADO, P. P. Lideranças do Contestado: a formação e a atuação das chefias caboclas (1912-1916). Campinas: Unicamp, 2004.
MIR, Luiz. A Revolução Impossível: a esquerda e a luta armada no Brasil. SP: Best-Seller, 1994.
NOVAES, R. R. De corpo e alma: Catolicismo, classes sociais e conflitos no campo. Rio de Janeiro: Graphia Editorial, 1997.
PINHEIRO, P. S.; HALL, M. M. (Org.). A classe operária. In. A classe operária no Brasil (1889-1930). São Paulo: Alfa Omega, 1979. v. 1.
REIS, J. J.; GOMES, F. S. (Org.). Liberdade por um fio: história dos quilombos no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.
SANTOS, R. Camponeses e democratização no segundo debate agrarista. In: SANTOS, R.; CARVALHO, L. F. de; SILVA, F. T. (Org.). Mundo rural e política: ensaios interdisciplinares. Rio de Janeiro: Campus, 1999.
SAUER, S.: PEREIRA, J.M. (orgs) Capturando a Terra - Banco Mundial, políticas fundiárias neoliberais e reforma agrária de mercado, São Paulo: Expressão Popular 2008.
VELHO, O. G. Capitalismo autoritário e campesinato: um estudo comparativo a partir da fronteira em movimento. 2. ed. São Paulo: Difusão Editoral, 1979.




<<
Setembro 2021
>>
DoSeTeQuQuSe
   1234
567891011
121314151617
18
19202122232425
2627282930